Monóxido de carbono poderá ajudar na recuperação de transplantados

Estudo publicado na revista “Chemical Biology”

15 novembro 2007
  |  Partilhar:

 

Cientistas britânicos dizem ter desenvolvido um método para ajudar pacientes a recuperarem de cirurgias de transplantes de órgãos utilizando monóxido de carbono (CO), revela um estudo publicado na revista “Chemical Biology”.
 

 

Embora o gás seja fatal se administrado em volumes elevados, pode ajudar a dilatar os vasos sanguíneos e diminuir inflamações se aplicado em doses menores, de acordo com os cientistas. O tratamento, que utiliza CO através de moléculas capazes de transportar o gás, poderá começar a ser aplicado em 2010.
 

 

O método poderá ter outras aplicações, entre elas o tratamento de Doenças Inflamatórias, como Artrite Reumatóide e Hipertensão Pulmonar.
 

 

Inalar monóxido de carbono de maneira convencional traria um risco elevado para pacientes e médicos expostos ao gás. Contudo, o tratamento elimina este risco, disse o professor Brian Mann, da University of Sheffield e co-autor das investigações, em conjunto com o Roberto Motterlini, do Northwick Park Institute for Medical Research.
 

 

O sistema consiste em injectar no organismo ou pela administração de moléculas solúveis em água que liberam CO. Em declarações à BBC, o professor Mann explicou que as moléculas "se dissolvem em água e podem ser produzidas de forma líquida". Isso, segundo o especialista, permite que estas se incorporem rapidamente na corrente sanguínea. Outra maneira é administrá-las por via subcutânea.
 

 

Segundo Mann, as moléculas podem ser "programadas" para se concentrar num lugar específico do organismo. No caso de pacientes transplantados em recuperação, o órgão doado poderia ser tratado para minimizar o risco de rejeição.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.