Monogamia é essencial para maior diversidade humana

Linhagens masculinas são menores que as das mulheres

14 janeiro 2004
  |  Partilhar:

Ciência Investigadores do Ipatimup descobrem que até há 18 mil anos era regra o homem viver com várias mulheres.Até há 18 mil anos as uniões entre os seres humanos resumiam-se ao facto de um homem possuir e acasalar com várias mulheres, enquanto que algumas dezenas de outros ficavam a ver navios. Só um macho conseguia, assim, transmitir o seu material genético. Esta poliginia masculina deu lugar a poucas linhagens (gerações) de homens. Em contrapartida, garantiu uma expansão genética feminina. A descoberta, feita recentemente por investigadores portugueses do do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (Ipatimup), em conjunto com um cientista espanhol e três italianos, acaba de ser publicada no «Americano Journalof Molecular Evolution». E promete deixar muitos homens a dar graças à monogamia, para gáudio da população feminina.O estudo dos cientistas envolveu a utilização de 2000 amostras de diversas populações mundiais. O objectivo, explica o investigador António Amorim, do Ipatimup, era «detectar o maior número possível de polimorfismos no cromossoma Y, existente apenas no homem». Ou seja, descobrir qual a variação genética do homem, sabendo à partida a da mulher, através do DNA mitocondrial. E «quanto mais diversas as amostras analisadas maior é a probabilidade de detectarmos essa variação» acrescenta Luísa Pereira, também do Ipatimup.Fonte: Jornal de Notícias

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.