Molhos para saladas podem aumentar a absorção de nutrientes

Estudo publicado no jornal científico “Molecular Nutrition & Food Research”

25 junho 2012
  |  Partilhar:

Apesar de estarem repletos de vitaminas e nutrientes importantes, os vegetais presentes nas saladas requerem o tipo correto de molho para que se possa aproveitar em pleno os benefícios dos mesmos, revelou um estudo publicado no jornal científico “Molecular Nutrition & Food Research”.

 

Conduzido por Mario Ferruzzi, professor de ciência alimentar da Purdue University, EUA, o estudo permitiu identificar que os molhos ricos em gorduras monoinsaturadas requerem uma pequena quantidade de gordura para se obter a máxima absorção de carotenoides, ao passo que os molhos com gorduras saturadas e polinsaturadas necessitam de ser consumidos em maiores quantidades para que proporcionem os mesmos benefícios. Solúveis em gordura, os carotenoides como a luteína, licopeno, betacaroteno e zeaxantina estão associados à redução do risco de doenças crónicas e degenerativas como o cancro, doenças cardiovasculares e degeneração macular.

 

Aos 29 participantes na pesquisa foram oferecidas saladas temperadas com molhos preparados com manteiga como gordura saturada, óleo de canola como gordura monoinsaturada e óleo de milho como gordura polinsaturada. Cada salada foi servida com 3, 8 e 20 gramas de gordura do molho.

 

O óleo rico em gordura polinsaturada revelou ser o mais dependente da quantidade. Quanto maior a gordura na salada, mais carotenoides os participantes absorviam. A gordura saturada – a manteiga – demonstrou também ser dose-dependente, ainda que em menor grau.

 

No entanto, a gordura monoinsaturada – presente nos molhos preparados com óleo de canola e azeite – promovia o mesmo nível de absorção de carotenoides, quer com 3 gramas de gordura, quer com 20 gramas. Tudo indica que que esta fonte de lípidos possa ser uma boa escolha para quem procura opções de baixa gordura, mas que otimizem a absorção dos carotenoides a partir de vegetais frescos.

 

Mario Ferruzzi conclui que mesmo com uma pequena quantidade de óleo de canola, que é rico em gordura monoinsaturada, pode-se absorver uma quantidade significativa de carotenoides. “De uma forma geral, a gordura que se escolhe é relevante. Pode-se absorver quantidades significativas de carotenoides com baixos níveis de gorduras saturadas ou polinsaturadas, mas a absorção dos mesmos é maior à medida que se aumenta a quantidade dessas gorduras numa salada”.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.