Microprocessador reproduz a memória

Nova técnica traz esperança a doentes com lesões no hipocampo

13 março 2003
  |  Partilhar:

Investigadores da University of Southern California, em Los Angeles, conseguiram desenvolver um microprocessador que, pela primeira vez, reproduz artificialmente uma região do cérebro que controla a memória, o temperamento e a consciência. A informação é avançada na última edição da revista New Scientist.
 

 

O microprocessador imita as funções da região cerebral conhecida como hipocampo (circunvolução que está localizada na face inferior do lobo temporal do cérebro) e, presume-se que possa vir a ajudar, num futuro próximo, pessoas com lesões nesta parte do cérebro, nomeadamente provocadas por acidentes vasculares cerebrais (AVC), epilepsia ou Alzheimer.
 

 

Após dez anos de investigações, Theodore Berger e a sua equipa conseguiram desenvolver um hipocampo artificial para testar se o sistema poderia funcionar. Numa primeira fase, desenharam um modelo matemático de como o hipocampo funciona em todas as condições. Posteriormente, construíram o modelo num microprocessador e iniciaram as experiências, fazendo-o interagir com o cérebro.
 

 

Caso os testes iniciais sejam bem sucedidos, Berger pretende arrancar com as experiências em ratos vivos nos próximos seis meses e, posteriormente, em macacos. No entanto, a New Scientist adverte que este microprocessador é passível de afectar a memória e o temperamento, fundamentais para a identidade de um indivíduo, e, por conseguinte, levanta problemas éticos relacionados com a sua utilização.
 

 

Fonte: Diário Digital
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.