Método para redução de infecção hospitalar mostra-se promissor

Estudo publicado no “Surgical Infections”

21 dezembro 2009
  |  Partilhar:

As infecções por MRSA (Staphylococcus aureus meticilina resistentes) em pacientes nos cuidados intensivos cirúrgicos podem ser reduzidas através da utilização da rotação de fármacos em intervalos regulares, revela um estudo publicado no “Surgical Infections”.

 

O estudo realizado pela University of Virginia Health System, nos EUA, é o primeiro a avaliar o impacto da rotação de antibióticos nas bactérias conhecidas por “cocos gram positivos”. Sendo este um problema crescente nos hospitais, estes patogénios tendem a desenvolver resistência aos antibióticos em ambientes estéreis e fechados, como as unidades de cuidados intensivos. Os pacientes que se encontram nestes locais têm um sistema imunológico enfraquecido devido a doenças graves, feridas abertas, incisões cirúrgicas, cateteres ou outros dispositivos médicos implantados.

 

Na University of Virginia Health System, os pacientes cirúrgicos das unidades de cuidados intensivos incluem aqueles que estão a recuperar do trauma, que foram submetidos a transplantes de órgãos ou a procedimentos invasivos.

 

Os médicos constataram que, nas unidades de cuidados intensivos, após terem alternado entre dois antibióticos, a linezolide e vancomicina, a cada três meses, a taxa de infecções por MRSA desceu de 1,9 para 1,4 por cada 100 admissões. A mortalidade anual nos cuidados intensivos devida a infecções por MRSA diminui de 3,8 pacientes para zero.

 

Em comunicado de imprensa, o líder do estudo, Robert Sawyer, revela que, antes de terem iniciado a rotação de antibióticos, “67% das infecções provocadas por Staphylococcus aureus nos cuidados intensivos eram causadas por MRSA. A implementação deste método reduziu os casos de MRSA para 36%”.

 

O investigador acrescenta que “caso se prove a eficácia da rotação de antibióticos noutros locais, poderemos ser capazes de inverter a situação relativa à resistência aos antibióticos.”

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.