Método de deteção da icterícia neonatal foi premiado

Estudo publicado na revista “Pediatrics”

05 janeiro 2012
  |  Partilhar:

Um estudo de investigação clínica na área da icterícia neonatal, da autoria do pediatra Américo Gonçalves, recebeu esta semana o prémio do internato médico do centro hospitalar de São João, no Porto.

 

O investigador desenvolveu “um método fácil e económico” de deteção e avaliação do risco da icterícia neonatal, “um problema frequente e benigno na grande maioria dos casos, mas que afeta cerca de 60 % dos bebés de termo e 80 % dos de pré-termo. Os casos mais graves podem originar problemas neurológicos ou, até, a morte”, caso não sejam devidamente tratados.

 

Em declarações à agência Lusa, Américo Gonçalves revelou que o trabalho aborda “uma nova estratégia de avaliação de risco que combina o valor da bilirrubina total com a idade gestacional do bebé”.

 

O método permite caraterizar o recém-nascido numa determinada categoria de risco (muito baixo, baixo e alto) e, assim, evitar que o bebé desenvolva “hiperbilirrubinemia significativa” e as sequelas daí resultantes.

 

O artigo original intitulado “Prospective validation of a novel strategy for assessing risk of significant hyperbilirubinemia” foi já publicado na revista científica “Pediatrics”.

 

“A grande vantagem é que é um método fácil, económico e acessível a qualquer hospital. Espera-se que esta estratégia permita a deteção mais atempada e ajude a decidir, na altura da alta, quais desses bebés necessitam de uma avaliação a curto prazo ou aqueles que poderão ser seguidos pelo seu médico de família no seu centro de saúde”, revelou Américo Gonçalves.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.