Mente sã em corpo são? A ciência confirma

Estudo publicado na revista “Cell Metabolism”

09 fevereiro 2018
  |  Partilhar:

Os mecanismos subjacentes aos efeitos benéficos do exercício físico no cérebro também ajudam a combater a gordura e a fortalecer as propriedades anti-inflamatórias do sistema imunitário, indicou um novo estudo.

 

Conduzido por investigadores do Instituto Karolinska, na Suécia, o estudo poderá conduzir ao desenvolvimento de novos fármacos para a obesidade e diabetes.

 

“Ligámos as duas partes da expressão ‘mente sã em corpo são’”, avançou Jorge Ruas, investigador neste estudo.

Num estudo anterior na mesma instituição tinha-se demonstrado que os músculos treinados ajudam a limpar o sangue de uma forma semelhante à dos rins e fígado. Através do treino, os músculos conseguem converter o marcador de stress, a quinurenina, em ácido quinolínico. Os indivíduos com depressão e doenças mentais costumam apresentam níveis elevados de quinurenina.

 

Para este estudo, a equipa decidiu explorar melhor a função do ácido quinolínico em ratinhos que seguiram uma alimentação rica em gordura, fazendo com que ficassem com excesso de peso e níveis de glicose no sangue elevados.

 

Os ratinhos receberam também uma dose diária de ácido quinolínico que fez com que os ratinhos deixassem de engordar e ficassem com uma melhor tolerância à glicose, sem terem mudado o tipo de alimentação rica em gordura.

 

A equipa considera que o ácido quinolínico ativou o recetor celular conhecido como GPR35 que está presente nas células adiposas e imunitárias. Isto conduziu as células adiposas a converteram gordura branca em gordura bege que queima energia, bem como fez aumentar as propriedades anti-inflamatórias das células imunitárias.

 

“Demonstrámos que o ácido quinolínico previne o ganho de peso apesar de um consumo excessivo de energia”, concluiu Jorge Ruas.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar