Memórias: como o cérebro as associa?

Estudo publicado na revista “Science”

28 janeiro 2014
  |  Partilhar:

Investigadores americanos descobriram como os circuitos neuronais trabalham conjuntamente para controlar a formação de memórias associadas a eventos sequenciais. Esta interação ajuda o cérebro a perceber quando tem de entrar em ação e se defender contra uma potencial ameaça, revela o estudo publicado na revista “Science”.
 

“É importante sermos capazes de associar com alguma antecedência os acontecimentos que ocorrem”, refere a líder do estudo, Susumu Tonegawa. Por exemplo quando se ouve os pneus de um carro a derrapar antes de um acidente. A próxima vez que se ouvir este som, ficaremos com medo e à espera que ocorra um acidente, o que sugere que, de alguma forma, o cérebro associou estas duas memórias de modo a que o som provoque medo.
 

A memória dos acontecimentos, conhecidas como memórias episódicas, contém sempre três elementos: o quê, onde e quando. Estas memórias são criadas numa área do cérebro, o hipocampo, o qual tem de coordenar estes três elementos. Para que as memórias episódicas sejam criadas, o hipocampo comunica também com uma região do córtex cerebral, o córtex entorrinal que é formado por várias camadas.
 

Estudos anteriores já tinham revelado como o cérebro associava as memórias dos locais às dos objetos. Contudo, pouco se conhecia na altura sobre as memórias que associam os objetos ao tempo.
 

Em 2011, os investigadores do mesmo laboratório já tinham identificado, em ratinhos, o circuito cerebral responsável por associar as memórias de dois eventos. Este circuito, conhecido como circuito monossinático, liga as três camadas do córtex entorrinal com a região CA1 do hipocampo.
 

Agora neste estudo os investigadores descobriram um novo circuito que suprime o monossinático e limita a janela de oportunidade necessária para que os dois eventos fiquem associados.
 

Os investigadores acreditam que o equilíbrio entre estes dois circuitos neuronais, o monosinático e o agora descoberto, permite responder aos sinais de aproximação de perigo, sem ficar extremamente sensível à informação sensorial ou ficar paralisado com medo.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.