Memórias ambientais são transmitidas dos pais e avós

Estudo publicado na revista “Science”

13 outubro 2015
  |  Partilhar:
Investigadores americanos descobriram que as proteínas conhecidas como histonas podem ter um papel importante na herança da diabetes, cancro ou ainda problemas cardíacos, atesta um estudo publicado na revista “Science”.
 
Nos últimos anos, a comunidade científica tem demonstrado que, antes da conceção, os hábitos alimentares, o abuso de drogas, a exposição a produtos tóxicos e o stress do pai podem afetar o desenvolvimento da saúde não só dos filhos como dos netos. Contudo, os investigadores ainda não tinham percebido como ocorria esta transmissão de memórias ambientais.
 
Neste estudo, os investigadores da Universidade de McGill, nos EUA, descobriram que há algo distinto do ADN que desempenha um papel fulcral na herança em geral e que pode determinar se os filhos ou netos vão ou não ser saudáveis.
 
A maioria da investigação nesta área, conhecida por epigenética, tem-se centrado num processo que implica o ADN e certas moléculas – grupos metilo – que se ligam ao ADN e atuam como um regulador de intensidade, ativando e desativando a expressão de determinados genes.
 
Neste estudo, os investigadores decidiram avaliar se as histonas poderiam desempenhar um papel importante na transmissão da informação hereditária, uma vez que estas proteínas estão presentes nos espermatozoides. Apesar de as histonas serem distintas do ADN, estas combinam-se com ele durante a formação da célula, atuando como uma bobina em torno da qual o ADN se enrola.
 
De forma a testar a sua teoria, os investigadores criaram ratinhos com informação bioquímica das histonas ligeiramente alterada durante a formação dos espermatozoides. Verificou-se que havia consequências nefastas para a descendência, tanto em termos de desenvolvimento como de sobrevivência. Adicionalmente, os investigadores constaram que estes defeitos ou problemas poderiam estar presentes nas gerações vindouras. 
 
“Estes resultados são notáveis, porque indicam que há informação para além do ADN que está envolvida na hereditariedade. O estudo destaca o papel fundamental que os pais desempenham na saúde dos filhos e até dos netos. Uma vez que modificações químicas nas histonas são suscetíveis a exposições ambientais, este trabalho abre novas vias de investigação para a possível prevenção e tratamento de várias doenças, que afetam a saúde ao longo de gerações”, conclui uma das coautoras do estudo, Sarah Kimmins.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.