Meios insuficientes para travar pandemia de gripe nos EUA

Estudo publicado na Nature

26 abril 2006
  |  Partilhar:

 

Se uma pandemia de gripe atingir os Estados Unidos dentro de um ano, de pouco adiantarão os esforços para a conter, indica um estudo baseado num novo modelo de computador publicado pela revista Nature.
 

 

Se nada for feito, uma pandemia de gripe deverá infectar uma em cada três pessoas. Mas se o governo agir a tempo e dispuser de suficientes antivirais para o uso preventivo - o que não é o caso nos EUA - isso poderá limitar a cerca de 28 por cento a população afectada, refere o estudo.
 

"Os resultados em ambos os casos são muito pessimistas", concluiu o principal autor do trabalho, Neil Furguson, do departamento de Epidemiologia de Doenças Infecciosas do Imperial College de Londres.
 

 

Medidas como o encerramento de escolas e o uso do antiviral Tamiflu poderiam reduzir o número de mortos. Mas os esforços para impedir a entrada da gripe nos EUA, nomeadamente em aviões com passageiros doentes, não resultarão, afirma Furguson. No máximo, estima o cientista, poderiam atrasar duas semanas a instalação da doença. Se os EUA dispusessem de medicamentos antivirais suficientes para um quarto da população, os modelos de computador mostram que o número de pessoas infectadas baixaria de 102 milhões para cerca de 84 milhões. Este montante desceria para 33 milhões se houvesse medicamentos para metade da população.
 

 

Fonte: Lusa
 

MNI- Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.