Meditação alivia a dor

Estudo publicado no “Journal of Neuroscience”

18 março 2016
  |  Partilhar:
Investigadores americanos descobriram que meditação é capaz de aliviar a dor, sugere um estudo publicado no “Journal of Neuroscience”.
 
Quando o organismo sente dor, esta é inibida através da produção natural de opioides. Alguns estudos têm demonstrado que algumas abordagens cognitivas, como a hipnose, acupuntura, distração e mesmo a resposta ao placebo são capazes de inibir a dor através deste sistema.
 
Neste estudo, os investigadores do Centro Médico Wake Forest Baptist, nos EUA, decidiram averiguar se a meditação também utiliza a produção natural de opioides para reduzir a dor. 
 
“Os nossos resultados são surpreendentes e podem ser importantes para os milhões de indivíduos que sofrem de dor crónica e que estejam à procura de uma terapia de ação rápida, que não seja baseada na ação dos opioides”, revelou, em comunicado de imprensa, o líder do estudo, Fadel Zeidan.
 
Para o estudo os investigadores contaram com a participação de 78 indivíduos saudáveis que não tinham dores e aos quais foi administrado um fármaco (naloxena) que bloqueia os efeitos dos opioides na redução da dor ou soro fisiológico. 
 
Os participantes foram divididos em quatro grupos distintos. Um dos grupos fez meditação e recebeu naloxena; no segundo os participantes não praticaram meditação, mas foram tratados com naloxena; no terceiro grupo os indivíduos praticaram meditação e receberam soro fisiológico; e o quarto grupo não praticou meditação e recebeu soro fisiológico.
 
A dor foi induzida através de uma sonda térmica que aqueceu uma pequena área da pele dos participantes até 49ºC, um nível de calor que a maioria das pessoas considera ser bastante doloroso. Os participantes utilizaram uma escala de avaliação da dor.
 
O estudo apurou que os participantes que praticaram meditação e que foram tratados com naloxena apresentaram uma redução de 24% nos níveis de dor. Na opinião dos investigadores estes resultados são importantes uma vez que demonstram que mesmo quando os recetores dos opioides estão quimicamente bloqueados, a meditação é capaz de reduzir a dor através de um via completamente distinta.
 
Os investigadores verificaram ainda que, os participantes que meditaram e aos quais foi administrado soro fisiológico apresentaram uma redução de 21% nos níveis de dor. Contudo, aqueles que não praticaram meditação tiveram um aumento nos níveis de dor, independentemente do facto de terem recebido uma injeção de naloxena ou soro fisiológico.
 
Fadel Zeidan conclui que este estudo vem mais uma vez comprovar que a forma como a meditação é capaz de diminuir a dor é única. Estes achados são especialmente importantes para aqueles que desenvolveram tolerância aos fármacos baseados na ação dos opioides e que procuram uma forma de reduzir a dor que não provoque adição.
 
“Em última análise acreditamos que a meditação pode ser utilizada conjuntamente com outras terapias tradicionais para melhorar o alívio da dor sem produzir os efeitos colaterais aditivos e outras consequências que podem surgir da toma de fármacos opioides”, concluiu o investigador. 
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.