Medidas sanitárias complementares para impedir importação de mosquito

Despacho do Director-Geral da Saúde

27 outubro 2008
  |  Partilhar:

O Director-Geral da Saúde, Francisco George, emitiu, na semana passada, um despacho que visa a adopção de medidas, a partir de 1 de Novembro, para reduzir a probabilidade de importação do mosquito da espécie Aedes (Stogomyia) aegyti (L), vector de infecções virais, como o dengue e a febre amarela, para seres humanos.
 

A medida surge na sequência da confirmação da identificação de populações de mosquitos Aedes (Stogomyia) aegyti (L) na Região Autónoma da Madeira. Esta espécie de mosquito pode ser vector de infecções virais para seres humanos e, portanto, representar eventuais riscos para a saúde pública.
 

 

De acordo com a notícia veiculada pelo Portal da Saúde, entre várias medidas, “os navios e aeronaves provenientes de regiões endémicas com destino ao território português devem proceder à sistemática verificação das condições higio-sanitárias a fim de serem eliminadas eventuais condições favorecedoras da viabilização de criadouros de mosquitos; Deve ser realizada a desinsectização de todo o tipo de cargas, especialmente em navios, que possam ser criadouros de mosquitos.
 

 

O despacho foi enviado ao Presidente do Instituto Nacional de Aviação Civil e ao Presidente do Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos, tendo sido ouvida a Autoridade de Saúde Regional da Região Autónoma da Madeira, bem como especialistas do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, IP e do Instituto de Higiene e Medicina Tropical.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.