Médicos estrangeiros sem especialização realizam partos em hospitais públicos

Ordem dos Médicos denuncia situação

17 janeiro 2007
  |  Partilhar:

 

A Ordem dos Médicos (OM) denunciou quinta-feira que existem profissionais estrangeiros a realizar partos e outras urgências obstetrícias em hospitais públicos portugueses sem a necessária especialização.
 

 

Em conferência de imprensa, elementos do Conselho Regional do Sul da OM exemplificaram com o caso do Hospital Amadora-Sintra, onde foram identificados sete profissionais nestas condições. Trata-se de médicos oriundos de países de fora da União Europeia como Brasil, Palop (Países de Língua Oficial Portuguesa) ou de Leste que, apesar de alegarem que têm a referida especialização nos países de origem, ainda não a obtiveram ou viram recusada a equivalência em Portugal, que só pode ser dada pela OM.
 

 

Estes profissionais, apesar de estarem inseridos em equipas com médicos especialistas, não têm formação na especialidade que exercem (Obstetrícia e Ginecologia) e, por isso, não podem realizar actos médicos nestas áreas, sobretudo nos serviços de urgência. A OM diz que há mais casos além do Amadora-Sintra e anunciou que pediu uma "avaliação sistemática" de todas as equipas de Ginecologia e Obstetrícia nos hospitais portugueses.
 

 

Fontes: Público e Lusa
 

MNI- Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.