Médicos de família "falham" peso correcto dos pacientes quando têm por base apenas a observação

Estudo apresentado no congresso anual da American Diabetes Association

27 agosto 2008
  |  Partilhar:

Apenas 57% dos Médicos de Família “acerta” no peso dos seus doentes e, por isso, muitos casos de obesidade são subestimados, segundo um estudo internacional divulgado no 64º congresso anual da American Diabetes Association.  

 

O estudo feito por especialistas britânicos e norte-americanos comparou as descrições de peso dos registos clínicos de 200 especialistas com o real índice de massa corporal (IMC) dos doentes.  

 

Os resultados mostraram que 6% dos especialistas indicam valores mais altos que o peso real e 37% apresenta valores inferiores ao real.  

 

A maior percentagem (61%) de peso subestimado pelos médicos diz respeito a indivíduos com excesso de peso, ou seja um IMC de 25-27,49 kg/m2. Logo atrás ficaram os grupos dos obesos (47%) e dos obesos mórbidos (51%).  

 

Os pacientes cujo peso foi subestimado receberam menos recomendações alimentares do que os avaliados correctamente. Os resultados deste estudo sugerem que, com base apenas na observação, os médicos de família não reconhecem o peso correcto e consequentemente fazem um sub-tratamento de um elevado número de pacientes.  

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.  

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.