Médicos alertam para efeitos do abuso da Pílula do dia seguinte

Contracepção Oral de Emergência e perigos para a saúde

01 agosto 2007
  |  Partilhar:

 

Farmacêuticos e médicos voltaram a alertar para os riscos do consumo regular da Contracepção Oral de Emergência (COE). Daniel Pereira da Silva, da direcção da Sociedade Portuguesa de Ginecologia, sublinhou que o uso "abusivo" da COE poderá aumentar os riscos de Cancro da Mama e de problema de Vasoconstrição.
 

 

Apesar da impossibilidade ética de realização de testes em mulheres sobre os efeitos de toma recorrente, os receios multiplicam-se devido à ingestão de progesterona, uma hormona encontrada na génese do Cancro da Mama em algumas raças de cadelas.
 

 

Uma toma da pílula do dia seguinte equivale ao consumo de 15 comprimidos de uma pílula convencional, tendo em conta a ingestão do princípio activo levonorgestrel.
 

 

O médico planeia supervisionar uma acção de liceus do centro do país, seguindo as orientações de estudos realizados no norte da Europa, que indicam uma melhor interiorização quando a mensagem é passada por técnicos, em vez dos professores. "Os técnicos de saúde passam a mensagem de forma menos paternalista e moralista", disse.
 

 

Os últimos estudos sobre o COE indicam que os escalões etários dos 15 aos 19 anos e 20 aos 25 anos são os maiores consumidores, estabilizando-se nas faixas superiores quando a vida afectiva tende a estabilizar e assume-se a necessidade de métodos regulares anticoncepcionais.
 

 

Fonte: Lusa
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar