Médicos admitem realização de novas greves

A razão da greve torna a ser a falta de pagamento das horas extraordinárias

19 agosto 2003
  |  Partilhar:

 

As estruturas representativas dos médicos, no Porto, denunciaram o incumprimento do acordo que prevê o pagamento das horas extras em urgência pela tabela mais alta do regime de trabalho médico. Após a denúncia os profissionais de saúde admitem a realização de novas greves.
 

 

Pelos mesmos motivos está a decorrer desde o dia 11, nos hospitais de S. José, Curry Cabral e Capuchos- Desterro, em Lisboa, uma greve dos médicos. Contudo, segundo afirmam as direcções dos estabelecimentos de saúde os efeitos causados por esta greve têm sido muito reduzidos.
 

 

No sentido de ser decidida qual a forma de protesto a adoptar, haverá reuniões em cada uma das instituições hospitalares onde o acordo não está a ser cumprido, adiantou Carlos Santos, dirigente do Sindicato Independente dos Médicos (SIM), à LUSA. O dirigente acrescentou ainda que "serão os médicos em cada hospital a decidir se avançam ou não para a greve”.
 

 

Na conferência de imprensa para além de Carlos Santos, Sindicato Independente dos Médicos (SIM), estiveram também presentes o Sindicato Independente dos Médicos e a Federação Nacional dos Médicos (FNAM). Como "manifestação de solidariedade" esteve também presente o presidente da Secção Regional do Norte da Ordem dos Médicos, Miguel Leão.
 

 

Fonte: Lusa
 

 

Adriana José Oliveira
 

MNI – Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.