Médico suspeito de matar 90 % dos seus doentes em Madrid

Equipa de anestesistas conhecida por Sendero Luminoso

20 abril 2005
  |  Partilhar:

 

 

 

Luís Montes, médico anestesista no hospital Severo Ochoa, em Madrid, foi suspenso do exercício da profissão após uma denúncia que dava conta da morte de 90 por cento dos seus pacientes, 24 horas depois de lhes ser administrada a anestesia. Segundo o jornal El Mundo, em 42 dos casos a morte deveu-se à má prescrição ou excesso de anestesia. Mais em 80 por cento das situações, o médico optava pelo não internamento dos doentes em estado grave.
 

 

O clínico, que dirigiu o serviço de urgência daquela unidade hospitalar madrilena, foi destituído do cargo a 8 de Março, altura em que foi feita a denúncia. A sua suspensão, e a de toda a equipa, aconteceu três dias depois, por este não ter informado o hospital do que estava a acontecer. Aliás, a equipa médica do clínico era conhecida entre os colegas como Sendero Luminoso - ou seja, o grupo armado maoísta muito activo e mortífero no Peru, nos anos 90. Segundo o jornal El Mundo mostra documentos que provam que entre 2002 e 2005 morreram no Severo Ochoa 458 pessoas. Destas, 274 foram anestesiadas pela equipa de Luís Montes. Outro dado significativo do Livro de Registo de Urgências, publicado no diário espanhol, revela que em pelo menos 57 casos os doentes foram sedados sem permissão ou conhecimento de familiares.
 

 

Fonte: JN
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar