Médico e duas enfermeiras dos EUA acusados do assassínio de 34 pacientes

Processo remonta à passagem do Furacão Katrina

22 julho 2006
  |  Partilhar:

 

Uma médica e duas enfermeiras que trabalhavam no meio do caos gerado, no ano passado, pelo furacão Katrina, em Nova Orleães, EUA, foram, na semana passada, acusadas de ministrar a quatro pacientes doses letais de morfina e de um sedativo, revelaram as autoridades.
 

 

As três acusadas foram detidas ao abrigo da acusação de assassínio em segundo grau. «Não chamamos a isto eutanásia. Não chamamos a isto mortes por compaixão. Isto é assassínio em segundo grau», disse Kris Wartelle, porta-voz do procurador da Luisiana, Charles C. Foti.
 

 

O procurador abriu 73 processos de investigação sobre notícias de que pessoal médico tinha conduzido à morte, por razões humanitárias, alguns pacientes no Centro Médico Memorial, em grande sofrimento depois do furacão, enquanto esperavam, em condições miseráveis, pelos socorros que só chegaram quatro dias depois.
 

 

O Centro Médico com 317 camas ficou isolado, sem energia e as temperaturas atingiam os 38 graus. Pelo menos 34 doentes morreram nesse período de espera naquele centro médico. Mais de duzentos pacientes internados em asilos e hospitais da zona morreram depois da passagem do Furacão Katrina, a 29 de Agosto de 2005, o que levou à abertura de diversos processos.
 

 

Fonte: Lusa
 

MNI- Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.