Médico condenado por homicídio por negligência

Bernardo Sá foi condenado a um ano de prisão

03 agosto 2003
  |  Partilhar:

Bernardo Sá, médico desde 1995, foi condenado a um ano de prisão por homicídio por negligência no caso da morte de um jovem com apendicite aguda em 1998.
 

 

Tudo começou quando no dia 17 de Abril de 1998, Luís Novo, com apenas 16 anos, foi obrigado a deslocar-se ao hospital Reynaldo dos Santos com queixas de dores abdominais, vómitos e diarreias. Após ter sido observado é-lhe diagnosticada gastroenterite e obtém alta. Passadas 24 horas, o jovem regressa à urgência, o diagnóstico mantém-se e mais uma vez tem alta. Três horas depois, Luís Novo abre pela terceira vez novo episódio de urgência e só desta vez é ordenado o internamento do jovem. Entre as duas altas e o internamento, Luís Novo é atendido pela médica Sandra Ferro, pelo médico Bernardo Sá, que no terceiro dia se encontrava a fazer urgência, e pelo médico José Lourenço que ordena o internamento do jovem. Tarde demais porque Luís Novo acaba por falecer.
 

 

Depois de em Julho, o Ministério Público ter pedido a condenação dos três arguidos, todos eles médicos, por homicídio por negligência, apenas Bernardo Sá foi condenado pelo juiz do Tribunal de Vila Franca de Xira. O Juiz leu a sentença que condenou Bernardo Sá, médico desde 1995, a um ano de prisão, suspensa por três anos, pela prática de um crime de homicídio por negligência.
 

 

Segundo fonte da Lusa, o Tribunal de Vila Franca de Xira considerou ainda que a decisão de Bernardo Sá em não internar Luís Novo, de 16 anos, assim que deu entrada na urgência do Hospital Reynaldo dos Santos "foi errada do ponto de vista médico".
 

 

Fonte: Lusa
 

 

 

 

 

 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.