Médico condenado a seis anos de prisão

Crime continuado de burla agravada

25 maio 2007
  |  Partilhar:

 

João Aurélio Duarte, detido a 4 de Março de 2005, no Brasil, a pedido das autoridades portuguesas, por fraude à ADSE na ordem dos quatro milhões de euros, foi esta semana condenado a seis anos de prisão por um crime continuado de burla agravada.
 

 

O colectivo de juízes da 9.ª Vara do tribunal da Boa Hora condenou ainda o médico ao pagamento de 3 921 198 de euros ao Estado e à perda de seis imóveis que possui em Portugal em favor do Estado português.
 

 

João Aurélio Duarte estava acusado de nove crimes de burla qualificada praticados em conluio entre 1998 e 2003. O médico geria uma rede de oito clínicas de fisioterapia - do grupo JAD, Gestão de Unidades de Saúde - tendo facturado ao Estado exames e receitas médicas fictícias, obtendo fraudulentamente as comparticipações. Acabou condenado por um crime de burla agravada na forma continuada.
 

 

Fonte: Diário de Notícias
 

MNI- Médicos Na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.