Medicamento de venda livre para emagrecer com falta de controlo

Alerta da DECO

29 março 2010
  |  Partilhar:

A DECO alerta para a falta de controlo na venda do primeiro medicamento para emagrecer não sujeito a receita médica em Portugal.

 

No estudo, divulgada na revista Teste Saúde, é referido que duas colaboradoras da DECO sem excesso de peso visitaram anonimamente 48 locais de venda de medicamentos e apenas em cinco não lhes foi vendido o Alli (orlistat), o primeiro medicamento para emagrecer sem receita médica aprovado pela Agência Europeia do Medicamento.

 

No total foram visitados, em Janeiro e Fevereiro deste ano, 36 farmácias e 12 estabelecimentos autorizados a vender medicamentos não sujeitos a receita médica.

 

Refere o documento, citado pela agência Lusa, que em nenhum dos 43 locais visitados foi perguntada a altura, o peso ou calculado o IMC (Índice de Massa Corporal) das utentes. Recorda a associação de defesa do consumidor que o Alli é recomendado apenas para quem tem um IMC igual ou superior a 28.

 

Em 29 desses locais nada foi perguntado sobre o estado de saúde das consumidoras e apenas em 25 a informação sobre a toma correcta do Alli foi abordada. Quanto aos possíveis efeitos secundários do medicamento, só 11 profissionais os indicaram.

 

Em conclusão, a DECO defende que a venda do Alli sem receita médica é "um mau princípio" e apela à Agência Europeia do Medicamento para rever os critérios que estão na base da autorização.

 

O Alli (uma versão de menor dosagem do conhecido medicamento Xenical) entrou no mercado europeu em 2009.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.