Medicamento contra cancro do pulmão mata no Japão

Mais de 124 pessoas morreram durante os últimos cinco meses

30 dezembro 2002
  |  Partilhar:

Nos últimos cinco meses, pelo menos 124 pessoas morreram no Japão, em consequência dos efeitos secundários provocados por um medicamento usado no tratamento do cancro do pulmão, o Iressa, fabricado e comercializado no Japão pelo grupo britânico AstraZeneca.
 

 

Segundo o Ministério da Saúde japonês, as mortes surgem em um grupo de cerca de 500 pacientes que desenvolveram graves efeitos secundários depois de usarem o Iressa. O medicamento apenas é vendido no Japão. Como resultado desta descoberta, o ministério nipónico formou, de imediato, uma comissão de 12 médicos especialistas com o objectivo de avaliar, em ambiente restrito, a utilização do fármaco.
 

 

Segundo as autoridades nipónicas, o medicamento não vai ser retirado do mercado, mas foram dadas ordens para que os pacientes - a quem seja administrado o Iressa - sejam hospitalizados durante um mês e controlados pela referida equipa de especialistas. O objectivo é identificar e resolver quais os problemas causados pelo fármaco.
 

 

Classificado de «medicamento milagroso», o Iressa actua em pacientes que sofrem de cancro do pulmão e nos quais os tratamentos tradicionais, bem como radio e quimioterapia já não produzem efeitos.
 

 

Desde a introdução do Iressa no mercado japonês, a 16 de Julho de 2002, já foi prescrito a 19 mil doentes. Deste grupo, cerca de 500 pacientes, ou 2,6 por cento, apresentaram efeitos secundários, dos quais 124 vieram a perecer.
 

 

Fonte:TSFonline
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.