Mecanismo molecular com impacto terapêutico na cicatrização de feridas e no combate ao cancro

Investigação do IPO publicada na revista PLoS ONE

16 dezembro 2008
  |  Partilhar:

Um grupo de investigadores do Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa descobriu um novo mecanismo molecular de regulação da formação de novos vasos sanguíneos e cicatrização de feridas que poderá abrir caminho a novas estratégias terapêuticas.

 

Sérgio Dias e a sua equipa do Centro de Investigação e Patobiologia Molecular do IPO, em Lisboa, descobriram que, para formarem novos vasos, as células precursoras dos vasos sanguíneos são estimuladas por uma proteína denominada Notch, presente nas células da medula óssea. "Esse mecanismo de activação das células endoteliais dos vasos sanguíneos por parte das células da medula, tanto durante a cicatrização das feridas como durante o crescimento tumoral, poderá ter imenso impacto terapêutico", sublinhou Sérgio Dias à agência Lusa.

 

No que diz respeito às feridas, a activação de células medulares  (através da referida proteína) antes de serem injectadas em ratinhos,  melhorou a cicatrização de forma significativa, segundo explicou o principal autor deste estudo, publicado recentemente na revista científica norte-americana PLoS ONE.
 

 

Este estudo foi financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia, a Fundação Calouste Gulbenkian e a Crioestaminal.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.