Mecanismo biológico detecta e responde às bactérias no útero

Estudo publicado na revista “PLoS ONE”

27 setembro 2010
  |  Partilhar:

Foi verificado em ratinhos um mecanismo biológico que detecta e responde à presença de bactérias no útero. O estudo publicado na revista “PLoS ONE” oferece novas vias de desenvolvimento de tratamentos preventivos de doenças, como a clamídia e a doença inflamatória pélvica.

 

As infecções do útero são comuns e podem conduzir à infertilidade e ao parto prematuro, mas, até ao momento, não existe qualquer vacina ou outras formas de prevenir esses problemas. Em comunicado de imprensa, o líder da investigação, Martin Sheldon, da Swansea University's School of Medicine, explicou que “o útero é um ambiente único e responde à infecção de diferentes maneiras de outras partes do corpo”. O que foi verificado nos ratinhos “é que o útero depende das células que normalmente não participam na imunidade para detectar e responder às bactérias. Estas informações são cruciais, na medida em que nos fornecem novos dados para a prevenção de doenças".

 

Ao contrário de outras partes do corpo que ficam expostas às infecções, no útero, o sistema imunitário normal é menos desenvolvido. Isto pode estar relacionado com o facto de o útero ser normalmente estéril, ao contrário, por exemplo, da boca ou dos intestinos que têm populações residentes maioritariamente de bactérias benignas.

 

O útero baseia-se numa forma mais simples e mais geral de imunidade, denominada sistema inato. Na maioria dos tecidos, uma resposta inata é rapidamente seguida pela resposta mais sofisticada de adaptação, que permite às pessoas desenvolverem uma imunidade duradoura e específica. Como o sistema adaptativo é subdesenvolvido no útero, os cientistas procuram meios alternativos para evitar a infecção.

 

A equipa de Swansea descobriu que as células que cobrem as paredes do útero, células epiteliais e estromais, têm um papel fundamental na detecção da infecção e despoletam uma resposta imune inata. No decorrer do estudo, foi ainda descoberto que uma proteína presente na parede das células era a responsável por detectar a presença de células bacterianas.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 3Média: 3.3
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.