Mau funcionamento do fígado na gravidez altera microbioma na criança

Apresentação na Conferência Anual da Sociedade de Endocrinologia do RU

19 novembro 2019
  |  Partilhar:
Um estudo de uma equipa do King’s College de Londres, revela que o mau funcionamento do fígado durante a gravidez pode alterar o microbioma da criança e aumentar o seu risco de obesidade.
 
A forma mais comum de doença hepática na gravidez é a colestase intra-hepática que reduz a libertação da bílis e faz com que os ácidos biliares se acumulem no sangue. Isto causa má função hepática e aumenta os riscos de parto prematuro.
 
Em modelos de colestase intra-hepática em ratos, os investigadores liderados por Caroline Ovadia observaram que as crias tinham uma composição de microbiota diferente e um funcionamento do fígado também.
 
Estas características eram mais evidenciadas quando os animais consumiam uma dieta rica em gordura, o que contribuía para o mau funcionamento metabólico e consequente obesidade.
 
Ovadia esclarece que a saúde na gravidez pode ter consequências a longo prazo na criança, neste caso em particular com a alteração do microbioma a aumentar o risco de obesidade, principalmente com uma dieta ocidental rica em gordura.
 
As crianças nascidas de mães com problemas de fígado na gravidez devem manter uma alimentação saudável e seria benéfico, segundo os investigadores, aplicar estratégias de tratamento com pré-bióticos na gravidez de modo a minimizar os riscos.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Comentários 0 Comentar