Mamografia pode prevenir morte por cancro da mama

OMS recomenda exame

20 março 2002
  |  Partilhar:

A Organização Mundial de Saúde (OMS) assegurou que a mamografia pode prevenir a morte por cancro da mama de uma em cada 500 mulheres com idades entre 50 a 69 anos.
 

 

As conclusões, divulgadas ontem durante a III Conferência Europeia sobre Cancro da Mama a decorrer em Barcelona até dia 23 não deixam margem para dúvidas: aos exames de mamografia podem salvar vidas.
 

 

O relatório, elaborado por 24 especialistas independentes para a Agência Internacional de Pesquisas sobre o Cancro, uma instituição vinculada à OMS, disse que muitas das dúvidas formuladas recentemente sobre a falta de exactidão das mamografias eram infundadas.
 

 

Por tal, a OMS recomenda todas as mulheres para que façam mamografias periodicamente. Este alerta baseia-se em sete estudos realizados nos anos 1970 e 1980, segundo os quais essa técnica reduz significativamente as mortes em decorrência da doença.
 

 

Há pouco tempo, a confiança na mamografia, no entanto, foi abalada pelas conclusões de um grupo de cientistas do Centro Cochrane de Copenhagua, Dinamarca. Neste estudo, os cientistas analisaram os sete trabalhos e chegaram à conclusão de que cinco deles eram tão incompletos que não era possível determinar se, de facto, a mamografia salvava vidas.
 

 

Algum tempo depois, um grupo de especialistas voltou a estudar esses trabalhos para determinar se eram realmente falsos. Esta última análise veio concluir que as mamografias salvam vidas, embora discorde quanto à percentagem de eficiência da técnica em evitar a morte por cancro da mama. "Essa é a resposta definitiva", afirmou Julietta Patnick, coordenadora do programa britânico de prevenção do cancro da mama. O grupo da OMS determinou que os antigos estudos apresentam provas suficientes para concluir que a mamografia reduz em 35 por cento a mortalidade nas mulheres entre 50 e 69 anos, e afirmou que muitas das críticas dos cientistas dinamarqueses eram infundadas.
 

 

Segundo dados da OMS, o cancro da mama mata cerca de 500 mil mulheres por ano em todo o mundo, sendo a forma de cancro mais comum entre as mulheres.
 

 

Dados conhecidos
 

 

- O risco de desenvolver a doença aumenta à medida que a mulher envelhece
 

- Os homens também podem desenvolver o cancro da mama, apesar de ser raro
 

- Cada ano surgem cerca de um milhão de novos casos
 

- A Holanda é o país europeu com a maior incidência da doença. São mais de 90 casos a cada 100 mil mulheres, quase o dobro da taxa de países como Grécia e Espanha
 

- Três quartos dos casos acontecem entre mulheres acima dos 50 anos. A doença é rara em mulheres com menos de 30 anos
 

- A média de cinco anos da taxa de sobrevivência na Europa fica em torno dos 73 por cento, mas varia de acordo com o país.
 

- Entre 5 e 10 por cento dos casos de cancro da mama são genéticos e acontecem devido a mutações nos genes BRCA1 e BRCA2
 

- A detecção e tratamento no estágio inicial aumentam as probabilidades de e sobrevivência
 

- Adiar a maternidade para depois dos 30 anos ou não ter filhos elevam a propensão de um mulher ter a doença. O histórico familiar do cancro da mama, menopausa tardia, puberdade precoce e obesidade também representam factores de risco
 

- Alguns estudos médicos demonstraram que o uso dos contraceptivos orais e da terapia de reposição hormonal podem contribuir moderadamente para o risco da doença, mas a tendência desaparece com a suspensão dos medicamentos
 

- As mulheres são aconselhadas a fazer o auto-exame da mama para verificar mudanças ou nódulos, que podem ser indicadores da doença. A maioria dos "caroços" não é cancerosa
 

- Mamografias são raios X da mama que podem diagnosticar sinais precoces do cancro
 

- O cancro da mama é tratado com cirurgias, quimioterapia, radioterapia, terapia hormonal e imunoterapia
 

 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.