Mais uma vítima de pneumonia faleceu no Hospital de Pombal

Idosos contaminados não resistiram às bactérias multi-resistentes

16 fevereiro 2004
  |  Partilhar:

Um homem de 89 anos faleceu esta segunda-feira no Hospital de Pombal, elevando para quatro o número de mortes de idosos naquela unidade hospitalar provocadas por bactérias multi- resistentes a antibióticos. No domingo faleceram dois homens, com 80 e 64 anos, e na passada terça-feira já havia morrido outro paciente, vítima da mesma pneumonia.As contaminações foram identificadas no início da semana passada e os sete doentes infectados com as bactérias permanecem em quase isolamento.De acordo com o director do hospital, Luís Garcia, o contágio está controlado e «não se registaram novos casos nos últimos dias». Como medida de prevenção, o hospital mantém as visitas condicionadas, assim como o serviço de internamento fechado e sem data prevista para reabertura. A afluência às urgências reduziu significativamente nos últimos dias, confirmou a própria a direcção do hospital.Estes 11 doentes foram infectados por bactérias de prevalência hospitalar, que afectam principalmente os aparelho respiratório e urinário e são multirresistentes aos antibióticos. No Hospital de Pombal, atingiram pessoas que, na generalidade, têm idades avançadas e se encontram «imunodeprimidos», explica Luís Garcia. Ou seja, sofrem de muitas outras doenças, entre elas patologias do foro cardíaco, respiratório, insuficiência renal e diabetes. O paciente que ontem faleceu primeiro tinha 80 anos e apresentava patologias múltiplas degenerativas e insuficiência cardíaca.A Acinetobacter é a bactéria de maior prevalência nestes doentes. Mas alguns deles estão infectados com duas ou mais bactérias resistentes a diversos medicamentos. Foram detectadas no laboratório do Centro Hospitalar de Coimbra (CHA), o hospital de referência para Pombal. É ali que são analisadas as colheitas feitas aos doentes internados ou seguidos em Pombal, explicou o director do CHC, João Coucelo, ao DN.Depois dessas análises, foi pedido um estudo sobre as bactérias ao Instituto Ricardo Jorge, que se prevê estar concluído nos próximos dias. Uma equipa epidemiológica tem estado em Pombal, desde que foi conhecida a existência do foco, no início da semana, em busca da origem das bactérias.Embora sejam germes que se encontram fundamentalmente nos hospitais, os responsáveis locais e regionais de saúde dizem que o contágio pode não ter partido do hospital. «Foi um acaso juntarem-se estes doentes todos de uma só vez», diz o director Luís Garcia. A mesma ideia é reforçada por Fernando Andrade, presidente da Administração Regional de Saúde do Centro. Os idosos, embora residentes em Pombal, passaram por vários serviços de saúde. A presidente da comissão de controlo das infecções hospitalares, Alaine Pina, vai entregar um relatório à Inspecção-Geral da Saúde sobre o assunto.   Fontes: Lusa e Diário de Notícias

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.