Mais perto da vacina preventiva do cancro do colo do útero

Estudo traz resultados promissores

22 novembro 2004
  |  Partilhar:

Uma nova vacina testada com resultados positivos poderá ser a solução para os casos de cancro do colo do útero (cervical), que anualmente mata mais de 200 mil mulheres em todo o mundo.Segundo o site do jornal espanhol El Mundo, o estudo demonstrou que a imunização a dois tipos do vírus do papiloma humano (HPV) é eficaz, quase a 100 por cento, na prevenção de infecções persistentes na vagina e no útero causadas por este microorganismo, principal causa deste tipo de tumores.Todos os anos, em todo o mundo, registam-se 230 mil mortes relacionadas com o cancro do colo do útero ou cervical, estimando- se que surjam cerca de 470 mil novos casos anualmente.A principal causa deste tipo de tumor é a infecção genital pelo vírus HPV, de que existem vários tipos, mas os mais frequentemente associados ao cancro cervical são o HPV-16 e o HPV- 18 (o primeiro é responsável por mais de 60 por cento destes tumores, o segundo cerca de 10 por cento).Por isso, as investigações sobre prevenção do cancro cervical através da imunização ao vírus têm incidido no desenvolvimento de vacinas que contêm partículas apenas destes dois tipos de vírus.Para provar a eficácia da nova vacina, cientistas do Centro para o Cancro Norris Cotton e da Escola de Medicina de Darmouth, nos Estados Unidos, conduziram um estudo que envolveu 1.113 mulheres com idades compreendidas entre os 15 e os 25 anos. Foram criados dois grupos: 533 mulheres receberam um placebo (substância inactiva) e às restantes foram administradas três doses de vacina.Ao fim de 18 meses, a imunização foi eficaz numa grande percentagem de participantes, perto de 100 por cento tanto contra as infecções persistentes pelo HPV como as ocasionais, não tendo sido detectados efeitos secundários graves relacionados com o tratamento.Num editorial publicado na revista científica Lancet, Matti Lehtinen e Jorma Paavonen, da Universidade de Helsínquia, Finlândia, consideram que a eficácia desta vacina face à infecção pelo HPV 18 é particularmente importante.No entanto, admitem que são necessários mais estudos para avaliar a longo prazo a eficácia da vacina na prevenção do desenvolvimento deste tipo de tumores. Além disso, é necessário avaliar se existem outros tipos de vírus do papiloma humano que deveriam ser incluídos na vacina e se tanto homens como mulheres deveriam ser imunizados.Fonte: Lusa

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.