Mais de 80 imigrantes de Leste vão poder exercer medicina em Portugal

Gulbenkian financia o projecto

26 setembro 2002
  |  Partilhar:

Cerca de 80 imigrantes do Leste europeu que são licenciados em Medicina e que estão a trabalhar em Portugal na construção civil vão poder exercer a sua profissão no nosso país. Os imigrantes, residentes em Portugal, vão ter de aguardar que as habilitações sejam reconhecidas, anunciou esta quinta-feira a Fundação Calouste Gulbenkian, que financiou o projecto. Trata-se de uma iniciativa do Serviço Jesuíta aos Refugiados que tem vindo a tentar que as qualificações destes imigrantes sejam reconhecidas em Portugal.
 

 

A Fundação Calouste Gulbenkian financiou o projecto, iniciado em Julho, com apenas dez ucranianos, no valor de 500 mil euros.
 

 

O programa prevê a tradução oficial para português dos diplomas universitários dos 85 médicos, a gestão das bolsas a pagar a cada um dos participantes durante estágios sem remuneração de seis meses num serviço de um hospital universitário e a realização do respectivo exame de estado, segundo a Gulbenkian.
 

 

Ao fim dos seis meses de estágio, os médicos imigrantes obtêm a equivalência e podem inscrever-se na Ordem dos Médicos e exercer a profissão para que foram qualificados nos seus países de origem.
 

 

Fonte:Diário Digital
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.