Mais de 116 mil pessoas morreram nas estradas dos países da OCDE em 2000

Operação natalícia: 400 acidentes em 24 horas

23 dezembro 2001
  |  Partilhar:

Os acidentes de viação provocaram mais de 116 mil mortos
 

nas estradas dos 26 países da Organização de Cooperação e
 

Desenvolvimento Económico (OCDE), em 2000, revelou um estudo da OCDE divulgado na sexta-feira em Paris.
 

 

Segundo o relatório, a velocidade e o álcool são os dois principais responsáveis pelos acidentes mortais nas estradas dos países membros da organização.
 

 

Estes números representam uma média de 320 mortos por dia,
 

sublinha a organização, salientando que o número de vítimas na estrada poderá diminuir "se as medidas de segurança adoptadas em alguns países forem posta em prática em todos os estados membros da OCDE".
 

 

No ano 2000, a França liderou em vítimas na estrada, com
 

8.079 mortos, seguindo-se a Alemanha com 7.503, Itália 6.410 e Grã-Bretanha 3.580.
 

 

400 acidentes em 24 horas
 

 

 

Em Portugal, e durante primeiro dia da operação natalícia "Viver 2002", o balanço conta já com cinco mortos, 17 feridos graves e 104 feridos ligeiros. Esta operação teve inicio na sexta-feira pela GNR e que se prolonga até ao dia 26 de Dezembro.
 

 

Nas primeiras 24 horas da operação, a Guarda Nacional
 

Republicana registou 400 acidentes, menos 32 sinistros do que no ano passado, o mesmo número de mortos, mais dois feridos graves e mais 14 feridos ligeiros comparativamente ao ano 2000.
 

 

 

A Operação "Viver 2002" desenvolve-se em dois períodos
 

entre 21 e 26 de Dezembro e entre 28 de Dezembro e 02 de Janeiro de 2002 - correspondentes ao Natal e Ano Novo e é realizada por mais de mil patrulhas e dois mil agentes diariamente.
 

 

Fonte: Lusa
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.