Maioria dos fumadores quer deixar o vício

Estudo português apela a «maior responsabilidade» dos médicos

11 março 2005
  |  Partilhar:

 

 

 

A maioria dos fumadores regulares quer deixar de fumar, mas apenas três dos sete por cento que tentam fazê-lo sem ajuda profissional conseguem uma abstinência a longo prazo. Os números foram divulgados num estudo elaborado por Sofia Ravara, assistente de pneumologia do Hospital Amadora-Sintra, publicado na Revista Portuguesa de Pneumologia .
 

 

A responsável pela Consulta de desabituação Tabágica no Hospital Amadora-Sintra salienta que «os médicos são os profissionais de saúde com maior responsabilidade e impacto na abordagem ao tabagismo».
 

 

O mesmo estudo revela que a taxa de sucesso para deixar de fumar aumenta para 15 a 30 por cento se os fumadores forem apoiados por intervenções clínicas eficazes. Estas intervenções, associadas à farmacoterapia, variam na sua duração, indo das intervenções breves, durante três a cinco minutos, até ao aconselhamento intensivo.
 

 

A informação, aponta a investigadora, aos fumadores deve ser fornecida por todo o tipo de especialistas, designadamente pediatras, obstetras, ginecologistas e dentistas. Em Portugal existe cerca de uma centena de consultas em hospitais e centros de saúde que podem ajudar os fumadores a deixar de fumar.
 

 

Fonte: Diário de Notícias
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.