Maior estudo sobre risco cardiovascular em marcha

Trabalho apoiado pela SPC

10 agosto 2006
  |  Partilhar:

 

Cerca de 40 mil portugueses vão participar no maior estudo realizado em Portugal sobre o risco de Doenças Cardiovasculares, que arrancou no início do mês e é apoiado pela Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC).
 

 

Carlos Perdigão, vice-presidente da SPC, adiantou que o estudo vai avaliar, numa primeira fase, os factores de risco cardiovascular da população, seguindo-se a caracterização das terapias usadas e do seu impacto nos doentes.
 

 

Designado "Drugs Innovation Impact in Cardio and Cerebro-Vascular Disease in Portugal" (estudo AMALIA), a investigação pretende ainda determinar o absentismo e qualidade de vida relacionado com as Doenças Cardiovasculares.
 

 

O levantamento epidemiológico é efectuado através de inquéritos à população, em entrevistas de rua a concretizar em "locais de grande passagem" em vários concelhos do país, pormenorizou o responsável da SPC.
 

 

A iniciativa vai abranger homens e mulheres com idade superior a 18 anos e incide sobre factores de risco como a Hipertensão Arterial, o excesso de peso, o Colesterol, a Diabetes, os hábitos de vida e os antecedentes familiares e individuais de Doenças Cardiovasculares.
 

 

Carlos Perdigão acrescentou que os resultados vão igualmente permitir comparar a população portuguesa com outras populações europeias e verificar se as recomendações de tratamento cardiovascular aplicadas em Portugal, importadas de outros países europeus, se adequam aos doentes nacionais.
 

 

O estudo, que deverá estar concluído no segundo semestre de 2007 é totalmente financiado pela empresa farmacêutica Pfizer.
 

 

Fonte: Lusa
 

MNI- Médicos na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.