Luteína: fonte de saúde

Frutas e legumes na prevenção de doenças cardiovasculares

21 junho 2001
  |  Partilhar:

Vários estudos epidemológicos indicam que a ingestão de frutas e legumes frescos previne o aparecimento de doenças cardiovasculares e cancro. Muitos cientistas têm tentado investigar os compostos destes alimentos que promovem esta função protectora.
 

 

Estes alimentos são ricos em antioxidantes - nomeadamente os carotenóides - que podem exercer essa função preventiva fixando-se e eliminando radicais livres, agentes danificadores das células. Estudos anteriores não têm demonstrado correlação entre a ingestão de suplementos de antioxidantes e a prevenção de doenças. Pelo contrário, alguns mostraram até que a ingestão destes suplementos aumenta o risco do desenvolvimento de cancro.
 

 

Num novo estudo, os cientistas analisaram a luteína, um carotenóide existente em vegetais verdes como bróculos e espinafres e também na gema de ovo. Os resultados obtidos sugerem que a luteína pode prevenir a arteriosclerose.
 

 

Os autores estudaram, numa primeira etapa, a influência do nível sanguíneo de luteína em 480 homens e mulheres de meia idade no aumento da espessura da intíma média - túnica interna - das artérias carótidas, durante 18 meses.
 

 

 

Os investigadores encontraram uma correlação negativa forte entre o nível plasmático de luteína e o aumento da espessura das parede das carótidas. Mas alertam porém que, as pessoas com níveis mais elevados de luteína (consumiam
 

maior número de alimentos ricos neste nutriente), poderiam também exercer outro tipo de actividades - estilo de vida mais saudável com exercício físico regular, etc. - que poderá também ter um efeito benéfico na prevenção destas
 

doenças.
 

 

Para terem mais certezas acerca do papel da luteína neste efeito preventivo, os investigadores fizeram mais dois testes. Num sistema in vitro com o tecido da parede de artéria, a luteína conseguiu inibir a migração de monócitos para a parede, um fenómeno inicial da formação de placa arteriosclerótica. Num segundo testes, os cientistas demonstraram que, em ratos geneticamente modificados para desenvolverem arteriosclerose, a ingestão de luteína reduziu o desenvolvimento arteriosclerótico no arco aórtico.
 

 

Todas estas evidências parecem demonstrar um papel importante da luteína na prevenção de doenças cardiovasculares. No entanto, os cientistas não recomendam a ingestão de suplementos com estas substâncias. Antes, pensam que os níveis elevados de luteína no sangue são um sinal de qualquer outra coisa.
 

 

No entanto aconselham sim a ingestão de maior número de legumes. O autor do estudo diz que ele e a família passaram a ingerir maior número de vegetais verdes. "Só uma dose de vegetais verdes pode aumentar os níveis plasmáticos de luteína para os máximos registados neste estudo", diz o cientista.
 

 

Helder Cunha Pereira
 

MNI - Médicos Na Internet
 

 

Fonte: The Lancet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.