Líquido amniótico da grávida diminui no Verão

Estudo publicado no “Archives of Gynecology and Obstetrics”

12 agosto 2009
  |  Partilhar:

Nos meses de Verão, as grávidas correm um risco mais elevado de apresentarem menos líquido amniótico devido à desidratação, refere um estudo publicado na revista “Archives of Gynecology and Obstetrics”.

 

O principal objectivo do estudo da equipa de investigadores da Universidade Ben-Gurion do Negev, em Israel, consistia em determinar se o Verão é um factor de risco para os oligoâmnios (presença de menos de 200 ml de líquido amniótico na cavidade amniótica intacta durante os últimos meses da gravidez) comparando a frequência de perda de líquido amniótico durante os meses de Verão com os restantes meses do ano.

 

Para este trabalho foram avaliadas as gravidezes de 4,3 mil mulheres com oligoâmnios, entre os meses de Maio a Agosto, ao longo dos anos de 1988 a 2007.

 

Depois de excluir outras causas para a perda de fluido, como a ruptura prematura de membranas, a restrição do crescimento intra-uterino ou malformações, o estudo determinou que as taxas mais elevadas de oligoâmnios situavam-se nos meses de Verão.

 

Durante o período do estudo, 36% dos casos diagnosticados com a forma idiopática da condição ocorreram durante estes quatro meses de Verão, em contraste com 64% dos casos ocorridos durante os outros oito meses do ano.

 

“É importante para as grávidas beber a quantidade apropriada de água especialmente no Verão – cerca de dez copos por dia – e evitar o sol directo, não apenas para a saúde das mães, mas também com o objectivo de evitar a desidratação fetal”, explicou à Eurekalert o investigador Eyal Sheiner.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.