Lípido natural é um anti-inflamatório potente

Estudo publicado na revista “Journal of Innate Immunity”

12 julho 2018
  |  Partilhar:
Investigadores dos Institutos Nacionais de Saúde (NIH, sigla em inglês), nos EUA, identificaram um lípido que ocorre naturalmente – um ácido ceroso e gordo – usado por uma bactéria causadora de doença para dificultar a resposta imunitária do hospedeiro e aumentar as probabilidades de infeção. Sem contar, eles podem também ter descoberto uma terapia inflamatória potente contra doenças virais e bacteriológicas.
 
Sabe-se que os lípidos ajudam a bactéria Francisella tularensis, a causa da tularemia, a suprimir a inflamação no hospedeiro quando infeta células humanas e de ratinhos. Neste novo estudo, os investigadores encontraram uma forma do lípido fosfatidiletanolamina (PE) presente na bactéria. A composição do PE encontrado na F. tularensis difere do PE encontrado noutras bactérias. Em experiências com culturas celulares, os investigadores descobriram que a forma natural e sintética do PE reduz a inflamação causada tanto pela bactéria da tularemia como pelo vírus da febre do dengue.
  
A tularemia é uma doença potencialmente fatal que é transmitida ao homem por contacto com um animal infetado ou através da picada de um mosquito, carraça ou mosca de veado. Embora possa ser tratada com sucesso com antibióticos, é difícil de diagnosticar, principalmente por a bactéria F. tularensis poder suprimir a resposta imunitária humana. A febre do dengue, transmitida principalmente por mosquitos Aedes aegypti, raramente é fatal mas provoca febre, dores de cabeça fortes e dores em todo o corpo. Não há tratamento específico para a febre do dengue.
 
Depois de identificarem o PE como o lípido que reduzia a resposta imunitária, os investigadores começaram a considerar o seu valor terapêutico potencial. Dado que a F. tularensis natural é muito infeciosa e, portanto, difícil de trabalhar com ela, o grupo desenvolveu dois lípidos sintéticos – PE2410 e PEPC2410 – que eram mais fáceis de estudar e produzir. Verificaram de seguida que os dois lípidos sintéticos também suprimiam a resposta imunitária aquando a infeção de células dos ratinhos e humanos em laboratório.
  
Uma vez que vários tipos de infeções virais envolvem uma resposta inflamatória sem restrições, o grupo testou o PE natural e sintético em laboratório contra células humanas infetadas pela febre do dengue. Ambas as versões inibiram a resposta imunitária em comparação com a resposta imunitária observada em células infetadas mas não tratadas.
 
Os investigadores vão continuar a explorar a forma como o F. tularensis enfraquece a resposta imunitária. Eles esperam que os seus resultados possam eventualmente conduzir ao desenvolvimento de uma terapêutica anti-inflamatória potente e de largo espetro.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A. 
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar