Leucemia: Teste genético pode evitar reacções tóxicas à medicação em crianças

Estudo realizado no Porto

20 setembro 2005
  |  Partilhar:

 

Investigadores do Porto defendem a introdução de um novo teste genético em crianças com leucemia para evitar reacções tóxicas à medicação. Um estudo realizado nos serviços de hematologia clínica do Hospital São João e de pediatria do IPO, do Porto, detectou em mais de 10% dos casos uma variação genética responsável por uma pior metabolização do tratamento.
 

 

O estudo preliminar realizado no Porto envolveu 110 crianças com leucemia linfoblástica aguda e demonstrou que as crianças com variação genética tinham mais interrupções do tratamento devido à toxicidade da medicação e uma maior taxa de recaída. A medicação estudada foi o 6-MP.
 

 

Com o objectivo de detectar a variabilidade genética na resposta à medicação - para optimizar as doses e evitar reacções tóxicas - esta investigação pretende introduzir o teste de despistagem do polimorfismo como rotina hospitalar antes da iniciação do tratamento.
 

 

Fonte: Diário de Notícias
 

MNI-Médicos Na Internet
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.