Leucemia linfoblástica aguda: identificada mutação responsável pelas recidivas

Estudo publicado na revista “Cancer Cell”

11 março 2014
  |  Partilhar:

Investigadores americanos identificaram uma mutação genética em casos humanos de leucemia linfoblástica aguda que conduz provavelmente às recidivas. Estes resultados publicados na revista “Cancer Cell” podem conduzir a melhores estratégias de tratamento para este tipo de cancro que tipicamente afeta a crianças, mas que é mais mortal para os adultos.
 

Estudos anteriores já tinham demonstrado que as células tumorais são capazes de acumular mutações para se tornarem mais agressivas e resistentes ao tratamento. Assim apesar de 99% do tumor ser destruído com os tratamentos iniciais, uma célula especialmente agressiva pode sobreviver e fazer com que o paciente com cancro tenha uma recidiva seis meses mais tarde.
 

Através de experiências realizadas em modelos animais, os investigadores da Universidade de Harvard, nos EUA, constataram que metade das células que conduzem ao aparecimento das recidivas apresenta uma mutação que ativa a via Akt, o que faz com que as células se tornem resistentes à quimioterapia e fomenta também o seu crescimento.
 

Posteriormente foi verificado que quando esta via era inibida na leucemia linfoblástica aguda humana, a respostas das células cancerígenas à quimioterapia era restaurada.
 

“A via Akt parece funcionar como um importante motor de resistência ao tratamento. Também demonstrámos que esta mesma via aumenta o crescimento das células de leucemia e aumenta também a fração das células responsáveis pela recidiva”, revelou, em comunicado de imprensa, um dos autores do estudo, David Langenau.
 

Na opinião do investigador, estes resultados poderão ajudar a identificar os pacientes que são mais suscetíveis a ter recidivas e que beneficiarão de tratamentos com um inibidor da via identificada.
 

David Langenau espera encontrar formas de aplicar estes achados na prática clínica, bem como identificar outras mutações que conduzem às recidivas, encontrando assim outras formas de tratamento para os pacientes que sofrem de leucemia linfoblástica aguda.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Classificações: 1 Média: 5
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.