Leões são modelo para estudar SIDA nos humanos

Estudo liderado por investigador português

10 novembro 2008
  |  Partilhar:

Um cientista português descobriu que a elevada diversidade genética e de vírus existente nos leões permitirá utilizar esta espécie como modelo para estudar, entre outras doenças, a dinâmica do vírus da Sida em humanos. O estudo foi publicado na semana passada na conceituada revista "PLoS Genetics".
 

 

O geneticista Agostinho Antunes do Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIMAR) da Universidade do Porto, lidera, desde 2002, uma equipa internacional de 20 cientistas que realizou uma investigação com mais de 350 animais da Índia e de vários países de África.
 

 

O trabalho visou, por um lado, conhecer melhor a variedade genética destes animais e, por outro, caracterizar algumas doenças infecciosas, particularmente o FIV (Vírus da Imunodeficiência Felina), que existe com frequência elevada (até 97%) em algumas populações de leões em África.
 

 

A investigação aponta o facto de os leões coexistirem com o vírus há muito tempo e terem desenvolvido estratégias de defesa natural que justificam o facto de serem portadores do vírus sem apresentarem sintomas. "Esta descoberta é mais uma possibilidade de utilizar espécies como o leão, infectadas com o FIV, como modelo para estudar a dinâmica do HIV em humanos e do FIV em primatas", sublinhou o cientista.
 

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.