Leite: O alimento estratégico para o século XXI

Algumas conclusões do congresso

26 janeiro 2004
  |  Partilhar:

O leite pode prevenir e combater diversas doenças crónicas, as quais têm vindo a observar uma crescente taxa de incidência na população portuguesa.
 

 

Osteoporose, enfarte de miocárdio e hipertensão estão entre as doenças que mais afectam a qualidade de vida das populações, contribuindo para o aumento do esforço financeiro das famílias, a nível de cuidados de saúde, e das taxas de mortalidade por todo o mundo.
 

 

Estas são as principais conclusões do 3º Congresso do CNAM, sob o tema «Leite: alimento estratégico para o século XXI», que se realizou em Dezembro na Escola Superior de Tecnologias da Saúde de Lisboa. As conclusões do congresso centraram-se nos efeitos do leite ao nível clínico, pediátrico e no dia-a-dia de cada indivíduo.
 

 

O consumo de alimentos ricos em cálcio, nomeadamente leite e derivados, é um elemento essencial para alterar este panorama negativo. O leite é uma importante fonte de cálcio e de proteínas animais que, introduzida numa alimentação equilibrada, favorece a prevenção e diminuição dos riscos de fractura provocada pela osteoporose (em especial nas mulheres pós-menopausicas). O cálcio actua como agente promotor de densidade óssea, verificando-se diferentes necessidades ao longo do ciclo de vida humana.
 

 

A tecnologia versus qualidade do leite, os benefícios versus vantagens de consumir leite regularmente e o futuro versus versatilidade e funcionalidade do leite, enquanto o alimento mais completo, representaram os principais eixos de discussão do congresso. As quatro mesas redondas focaram os temas «Leite como alimento», «Leite e alimentação funcional», «Análise histórica e sócio-económica do Leite como alimento» e «Leites enriquecidos como resposta às necessidades alimentares e na prevenção de doenças».
 

 

Carlos Branco, médico coordenador do CNAM, o Wim Caers, do Nutricional Support Manager da Orafti, Teresa Sabino, endocrinologista do Hospital de Cury Cabral, Donzília Cantarinho, engenheira directora do departamento de qualidade e desenvolvimento da Lactogal, Helena Saldanha, docente na Faculdade de Medicina de Coimbra foram alguns dos intervenientes no congresso.
 

 

MNI-Médicos Na Internet
 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.