Legionella: em desaceleração mas ainda haverá mais casos

Declarações do ministro da saúde

12 novembro 2014
  |  Partilhar:

Apesar de haver uma desaceleração dos casos de Leggionella e estes estarem circunscritos, o ministro da Saúde revela que nos próximos dias haverá mais casos.
 

Paulo Macedo falava à agência Lusa no final de uma visita ao hospital de Vila Franca de Xira, onde estão internados muitos dos doentes que contraíram a doença, que está a afetar principalmente pessoas ligadas à região.
 

“Podemos dizer que a questão está circunscrita, e isso é importante”, que a Legionella não atinge as crianças, “e que temos uma desaceleração dos casos. Mas vamos ter mais casos nos próximos dias, porque estamos a tratar pessoas que ainda têm testes pendentes e que estão a ser tratadas e que podem revelar-se positivas”, explicou.
 

A visita, disse o ministro, serviu essencialmente para transmitir o apoio aos profissionais e aos doentes. Acrescentando que quer o hospital de Vila Franca, quer a Administração Regional de Lisboa e Vale do Tejo, quer a Direção-Geral de Saúde e outras entidades envolvidas no problema “têm sabido dar uma resposta efetiva e clara a esta situação”.
 

Além de percorrer várias áreas do hospital e de se inteirar das condições concretas dos doentes infetados com a bactéria, quer na urgência, quer no internamento (cuidados intensivos, intermédios e nas enfermarias), o ministro conheceu também as terapêuticas que estão a ser utilizadas e os seus efeitos, bem como os esforços de contenção que estão a ser feitos por parte da autarquia.
 

A Legionella encontra-se em ambientes aquáticos naturais e também em sistemas artificiais, como redes de abastecimento e distribuição de água, redes prediais de água quente e água fria, ar condicionado e sistemas de arrefecimento (torres de refrigeração, condensadores evaporativos e humidificadores) existentes em edifícios, como hotéis, termas, centros comerciais e hospitais. Esta bactéria pode ainda existir em fontes ornamentais e tanques recreativos, como jacuzzis.

 

A infeção transmite-se por inalação de gotículas de vapor de água contaminada (aerossóis) de dimensões tão pequenas que transportam a bactéria para os pulmões, depositando-a nos alvéolos pulmonares.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.