Lacticínios com elevado teor de gordura diminuem risco de diabetes

Estudo da Universidade de Lund

18 setembro 2014
  |  Partilhar:
O consumo de produtos lácteos com elevado teor de gordura pode diminuir o risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2, dá conta um estudo da Associação Europeia para o Estudo da Diabetes.
 
As gorduras alimentares podem afetar o metabolismo da glucose e a sensibilidade à insulina tendo consequentemente um papel crucial no desenvolvimento da diabetes tipo 2. Estudos anteriores já tinham sugerido que a substituição das gorduras saturadas pelas monoinsaturadas e polinsaturadas poderia ajudar na prevenção da diabetes tipo 2. Tem sido também aconselhada a substituição das gorduras de fonte animal pelas de fonte vegetal. Contudo, alguns estudos têm também indicado que um elevado consumo de produtos lácteos poderá ter um papel protetor nesta doença.
 
Assim, ainda está por esclarecer a importância da gordura alimentar, bem como das fontes alimentares da gordura. Foi neste contexto que os investigadores da Universidade de Lund, na Suécia, decidiram analisar o efeito do consumo das principais fontes de gordura no risco de desenvolvimento da diabetes tipo 2.
 
O estudo, liderado por Ulrika Ericsson, contou com a participação de 26.930 indivíduos com idades compreendidas entre os 45 e os 74 anos, tendo sido recolhidos dados da dieta dos participantes. Ao longo dos 14 anos do período de acompanhamento foram diagnosticados 2.860 casos de diabetes tipo 2. Os investigadores tiveram em conta fatores como idade, sexo, estação do ano, ingestão total de energia, índice de massa corporal, atividade física, tabagismo, consumo de álcool e educação. 
 
Os investigadores constataram que os indivíduos cujo consumo de produtos lácteos com alto teor de gordura era elevado (oito ou mais porções por dia) apresentavam um risco 23% menor de desenvolver diabetes tipo 2 comparativamente com aqueles que tinham um consumo mais baixo (uma porção por dia).
 
Tendo em conta o consumo de determinados alimentos lácteos ricos em gordura, o aumento da ingestão de nata (30 ml por dia versus 0,3 ml por dia) foi associado a uma diminuição de 15% no risco de desenvolvimento da diabetes tipo 2. Um maior consumo de leite fermentado (cerca de 180 ml por dia) com elevado conteúdo de gordura também diminui o risco de desenvolver esta condição em 20%. Por outro lado, não foi encontrada qualquer associação entre o consumo de produtos lácteos com baixo teor de gordura e o risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2. 
 
O elevado consumo de carne foi associado a um aumento do risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2. No entanto, este aumento do risco foi maior para os participantes que consumiam carne com baixo teor de gordura (24%) comparativamente com aqueles que ingeriam carne com elevado teor de gordura (9%).
 
“Os nossos resultados podem ajudar a clarificar os achados prévios sobre as gorduras alimentares e suas fontes tendo em conta o desenvolvimento da diabetes tipo 2. A diminuição do risco associada ao elevado consumo de produtos lácteos com alto teor de gordura indica que a gordura láctea pode, em parte, explicar a associação protetora entre o consumo deste tipo de alimentos e o desenvolvimento da diabetes tipo 2”, conclui o investigador.
 
ALERT Life Sciences Computing, S.A.
Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.