Laboratório farmacêutico usa chip para evitar falsificação de fármaco

Comercialização arranca este mês nos EUA

02 abril 2006
  |  Partilhar:

O laboratório farmacêutico GlaxoSmithKline começou a colocar um pequeno chip electrónico nos fracos de um dos seus principais medicamentos contra a Sida, como o intuito de combater a falsificação. O laboratório britânico, maior produtor mundial de fármacos para o tratamento da Sida, afirmou, em comunicado de imprensa, que os chips de identificação por radiofrequência (RFID) seriam colocados em todos os frascos de Trizivir que chegam nos Estados Unidos. Os frascos marcados com as etiquetas começarão a aparecer nas prateleiras das farmácias norte-americanas em meados de Abril. "Há potencial para que este procedimento seja adoptado noutras partes do mundo, mas primeiro vamos ver como funciona nos EUA ", afirmou uma porta-voz da empresa. Empresas farmacêuticas têm intensificado a investigação nessa tecnologia, na tentativa de combater uma onda crescente de falsificação de medicamentos. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estimou que os medicamentos falsos ocupem 10% do mercado mundial. Em Janeiro, a Pfizer tornou-se a primeira farmacêutica a usar esta tecnologia em larga escala, quando começou a marcar o Viagra - um dos fármacos mais falsificados do mundo. MNI- Médicos na Internet

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.