Jovens pouco sensibilizados para a Sida

Estudo apresentado em Lisboa revela que metade dos estudantes só usa preservativo «às vezes»

20 novembro 2001
  |  Partilhar:

As campanhas de sensibilização para o problema da sida não estão a chegar à população, mesmo à universitária. Um inquérito feito a 1.000 estudantes portugueses, entre os 16 e os 23 anos, revela que apenas 33 por cento utilizam o preservativo sempre que têm relações sexuais. E cerca de metade dos jovens universitários e do ensino secundário inquiridos admite utilizá-lo «às vezes».
 

 

O inquérito ontem apresentado durante a conferência «O HIV/Sida e os Direito Humanos», organizada pela presidência da República, que se realizou em Lisboa, revela ainda que a sida também não convenceu 49 por cento dos inquiridos a modificar o seu comportamento sexual. Mas quase todos, 90 por cento, pensam «que as pessoas alteraram os seus comportamentos» perante o risco de infecção com o HIV.
 

 

O autor do estudo, o psicólogo e professor do Instituto de Psicologia Aplicada Vítor Cláudio, não tem dúvidas de que as campanhas de prevenção e divulgação da doença junto dos jovens não têm sido ineficazes.«A resposta à sida [em Portugal] foi tardia, ineficaz e cheia de conteúdos moralizantes». Mesmo os comportamentos da população mais instruída, pouco ou nada se alteraram e continuam rodeados de crenças.
 

 

Fonte: Público
 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.