Jovens continuam sem saber como se transmite a Sida

Campanhas não têm conseguido desmontar mitos sobre a doença

13 janeiro 2004
  |  Partilhar:

A maioria (86,9 por cento) dos adolescentes portugueses diz não conhecer qualquer pessoa infectada com HIV e um terço deles conclui que, assim sendo, a sida só pode ser uma doença inventada como medida de repressão sexual. Um grupo considerável (31,9 por cento) acredita tratar-se, além do mais, de um problema que a pílula previne. Por que surgem estas respostas? Porque os jovens estão mal informados e as campanhas audiovisuais continuam a falar do vírus da imunodeficiência humana (HIV) sem o explicar, sem especificar as vias de contágio e sem esclarecer o que fazer para evitá-lo. A conclusão é de Orquídea Lopes, uma professora portuguesa cuja tese de doutoramento, apresentada na universidade espanhola de Salamanca, foi distinguida com o Prémio Extraordinário, atribuído à melhor entre as melhores teses de doutoramento e que vai ser entregue no próximo dia 28. O trabalho tem por base um inquérito realizado, a mil jovens com idades compreendidas entre os 14 e os 16 anos, em escolas portuguesas de 15 distritos. Leia tudo no: Público

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.