Jogo de vídeo ajuda crianças a lidar com dificuldades de gestão da raiva

Estudo publicado no “Journal of Adolescent Psychiatry”

29 outubro 2012
  |  Partilhar:

Um estudo piloto realizado por investigadores do Boston Children's Hospital concluiu que as crianças com problemas graves de gestão da raiva poderiam beneficiar de um jogo de vídeo que promove a capacidade de controlar as emoções.
As conclusões foram publicadas no “Journal of Adolescent Psychiatry”.
 

Quando Jason Kahn e Joseph Gonzalez-Heydrich, do Boston Children's Hospital, se aperceberam que as crianças com este tipo de problemas respondiam pouco à psicoterapia, mas mostravam imenso interesse por jogos de vídeo, decidiram desenvolver o "RAGE Control", um jogo de vídeo que ajuda as crianças a trabalhar a sua capacidade de controlar as emoções para que possam mais tarde usar essas capacidades em situações reais do dia a dia.
 

O jogo implica disparar sobre navios inimigos e ao mesmo tempo evitar atingir os navios aliados. À medida que as crianças jogam, o seu ritmo cardíaco é captado por um dispositivo colocado no dedo e transmitido num ecrã. Se o ritmo cardíaco atingir determinados valores, os jogadores deixam de poder disparar sobre os navios inimigos. Para fazerem um bom jogo, os jogadores têm de aprender a manter-se calmos.
 

Gonzalez-Heydrich, responsável pela área de Psicofarmacologia no Boston Children's Hospital, explica que as ligações entre os centros de controlo e emocionais do cérebro se revelam mais fracas nas pessoas que têm problemas de gestão da raiva. Neste jogo, os jogadores aprendem a utilizar estes dois centros ao mesmo tempo. Só assim serão bem sucedidos no “RAGE control”.
 

O estudo, inicialmente liderado por Peter Ducharme, assistente social no Boston Children's Hospital, comparou dois grupos de crianças com idades compreendidas entre os 9 e os 17 anos, que se encontravam internadas no Serviço de Internamento de Psiquiatria desse hospital e que apresentavam altos níveis de raiva. Todas elas respeitavam determinados requisitos.
 

O primeiro grupo foi submetido a várias terapias tradicionais ─ incluindo terapia cognitivo-comportamental, técnicas de relaxamento e prática de competências sociais ─ durante cinco dias consecutivos. O segundo grupo foi submetido à mesma terapêutica e, para além disso, no final de cada sessão terapêutica jogavam “RAGE Control” durante 15 minutos.

 

Após as cinco sessões, o segundo grupo demonstrava mais facilidade em manter um ritmo cardíaco mais lento e apresentava níveis de raiva inferiores, de acordo com a classificação do Inventário de Expressão de Raiva como Estado e Traço da Criança e Adolescente (State Trait Anger Expression Inventory-Child and Adolescent ─ STAXI-CA).

 

Ainda que este seja apenas um estudo piloto, os investigadores acreditam que este jogo de vídeo poderá ser benéfico para a gestão das emoções em outros contextos.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.