Jogging de alta intensidade pode ser prejudicial

Estudo publicado no “Journal of the American College of Cardiology”

20 fevereiro 2015
  |  Partilhar:

Os indivíduos que praticam jogging de alta intensidade apresentam o mesmo risco de mortalidade que os indivíduos sedentários. Por outro lado, os praticantes de jogging moderado apresentam a maior longevidade.
 

As conclusões vêm na sequência de um estudo conduzido por uma equipa de investigadores do Hospital Frederiksberg, em Copenhaga, na Dinamarca.
 

Para o estudo, Peter Schohr e colegas contaram com a participação de 5.048 pessoas saudáveis, das quais 1.098 praticavam jogging e 3.950 eram sedentárias. Os participantes tinham integrado um estudo sobre a saúde cardíaca em Copenhaga e foram seguidos por um período de 12 anos.
 

Durante o período de monitorização, os investigadores analisaram a frequência, número de horas e ritmo de prática de jogging nos participantes. De uma forma geral, os praticantes de jogging eram mais jovens, apresentavam uma menor prevalência de diabetes e de tabagismo e tinham valores mais baixos de tensão arterial e de índice de Massa Corporal (IMC).
 

No decorrer dos 12 anos de seguimento registaram-se 28 mortes no grupo dos praticantes de jogging e 128 no grupo dos não praticantes da modalidade.
 

Foi apurado que os participantes que praticavam jogging entre 1 a 2,4 horas por semana em não mais do que 3 dias por semana apresentavam os menores índices de mortalidade. Foram igualmente registados índices de mortalidade mais baixos entre os praticantes de jogging a ritmo baixo ou moderado. Os índices mais altos de mortalidade foram registados entre os praticantes de jogging de alta intensidade e o grupo dos indivíduos sedentários.
 

“A associação em U entre o jogging e a mortalidade sugere que poderá haver um limite máximo para a dose ideal de exercício para obter benefícios em termos de saúde. Se o objetivo é diminuir o risco de morte e melhorar a esperança de vida, praticar jogging algumas vezes por semana, a um ritmo moderado é uma boa estratégia. Mais do que isso é simplesmente desnecessário, poderá ser prejudicial”, comentou Peter Schnohr.
 

Muitos estudos associam a atividade física a uma redução na mortalidade, muitos dos quais sugerem que praticar exercício em pequenas doses é suficiente. O presente estudo reforça a ideia de que a prática moderada de jogging é benéfica na redução de mortes prematuras.
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.