João Paulo II: "Nem tudo é admissível" na ciência
12 agosto 2001
  |  Partilhar:

O papa João Paulo II sublinhou a importância dos progressos na investigação científica, mas advertiu que "nem tudo o que tecnicamente exequível é moralmente admissível".  

 

As palavras de João Paulo II figuram no seu documento para a próxima Jornada Mundial do Doente, que foi difundido hoje, e no qual afirma: "os recentes e enormes progressos e as capacidades da ciência médica dão-nos a todos uma grande responsabilidade na relação com o dom da vida que Deus nos ofereceu".  

 

Por esse motivo, acrescenta que a pessoa "está dotada de dignidade e direitos humanos inalienáveis", baseando-se aí a convicção de que para a Igreja "nem tudo o que é tecnicamente exequível é moralmente admissível".  

 

"Devemos vigiar contra qualquer violação e supressão da vida.  

 

Somos custódios da vida, não os proprietários", assinalou o Sumo Pontífice, para quem o momento de concepção da vida humana "implica a acção criadora de Deus".  

 

Na sua mensagem, o Papa enfatiza a tomada de posição da Igreja em favor da cultura da vida e um compromisso total pela sua defesa "desde a concepção até à morte natural".  

 

Fonte: Lusa  

 

 

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.