Jardins botânicos alertam para risco de extinção de plantas medicinais

Alerta da Botanic Gardens Conservation International

28 janeiro 2008
  |  Partilhar:

 

Centenas de plantas utilizadas na elaboração de medicamentos correm risco de extinção por exploração excessiva, alertou a organização para a Botanic Gardens Conservation International (BGCI).
 

 

Segundo a edição electrónica do "Folha de São Paulo", esta organização, que representa jardins botânicos de 120 países, teme que a descoberta de curas para doenças com a Sida ou o Cancro possam sofrer atrasos por causa da escassez destas plantas.
 

 

Os membros da associação e vários pesquisadores advertem, com base num estudo, que cerca de 400 espécies, de um total de 70 mil plantas medicinais existentes, estão em perigo, e alertam para as graves consequências desta situação para as cerca de cinco biliões de pessoas no mundo que recorrem à medicina tradicional à base de plantas.
 

 

Entre as plantas em risco estão a hoodia, utilizada como inibidor de apetite; metade das espécies de magnólia do mundo, que contém o composto químico honokiol, usado na medicina chinesa para tratar tumores e doenças do coração; e o autumn crocus, usado em tratamentos para gota e a leucemia.
 

 

Mais de 50% dos medicamentos prescritos são derivados de compostos químicos encontrados na natureza.
 

 

Fontes: Lusa e Imprensa Internacional
 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.