IVG: hospitais devem retirar objectos alusivos à infância

Recomendação da Inspecção-Geral das Actividades em Saúde

15 julho 2011
  |  Partilhar:

Inspecção-Geral das Actividades em Saúde (IGAS) recomenda aos hospitais públicos que retirem dos gabinetes onde atendem mulheres para interrupção voluntária da gravidez (IVG) objectos que possam interferir com a escolha das utentes.

 

Esta é uma das recomendações que resultou da inspecção realizada no ano passado a 22 estabelecimentos de saúde que realizam IVG até às 10 semanas de gravidez, que a legislação em vigor há quatro anos veio permitir.

 

No relatório da IGAS, citado pela agência Lusa, é recomendado que objectos alusivos à infância ou do foro religioso sejam removidos dos gabinetes médicos e de apoio psicológico e social onde é prestado atendimento a estas utentes.

 

A inspecção diz ainda que as unidades de saúde devem criar um telefone directo para a consulta hospitalar da IVG, "facilitando o cumprimento dos prazos legais". Deve ainda existir um contacto disponível de um profissional de saúde, em horário útil, para esclarecer possíveis dúvidas "durante todo o processo de IVG, minimizando o recurso desnecessário ao serviço de urgência".

 

A IGAS diz ainda que a Direcção-Geral da Saúde deve actualizar a informação disponível na Internet relativamente à consulta de IVG, com indicação dos dias, horários da consulta e profissionais de saúde adstritos.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.