Irmãos de crianças deficientes podem sofrer problemas emocionais

Estudo publicado na “Pediatrics”

27 agosto 2013
  |  Partilhar:

Um novo estudo revela que as crianças com um irmão que tenha sérios problemas de saúde ou incapacidade poderão apresentar mais problemas emocionais ou comportamentais. Segundo os autores do estudo, o problema reside em parte no estilo de vida.

 

Conduzido pela University of Arkansas, EUA, o estudo demonstrou que os tratamentos e tarefas associados aos cuidados prestados a uma criança com incapacidades são frequentemente exaustivos e consomem muito tempo e energia, desviando por vezes os recursos e atenção necessários para dedicar aos outros irmãos. Isto não significa que os pais não se preocupem com as crianças saudáveis.

 

O estudo, realizado em 6.500 crianças de idades compreendidas entre os 5 e os 17 anos de idade, apurou ainda que os irmãos saudáveis de crianças com incapacidades apresentavam mais problemas interpessoais, psicológicos, escolares e de envolvimento em iniciativas desportivas e passatempos do que crianças sem irmãos nessas condições.

 

No entanto, as crianças saudáveis, de famílias em circunstâncias semelhantes mas que têm outros irmãos saudáveis, parecem revelar menor problemas e adaptarem-se melhor. Sendo assim, o facto de terem outras pessoas para falar e brincar em casa poderá ajudar os irmãos a desenvolverem as competências e confiança necessárias para serem bem-sucedidas na escola e no recreio.

 

Anthony Goudie, autor de estudo e professor assistente naquela universidade do departamento de pediatria, explica que “existe (nesses lares) stress financeiro, psicológico e emocional”. “ Os pais vêem-se obrigados a tirar horas ao trabalho, a passar tempo a coordenar os cuidados, a levar o seu filho às consultas no hospital e normalmente não têm tempo nem energia para se ligarem de forma eficaz com o filho saudável” continua.

 

Ainda segundo o autor do estudo, o facto de os pais passarem tanto tempo focados no filho com incapacidade poderá impedi-los de repararem em potenciais problemas que surjam nos outros filhos, por serem de certa forma ofuscados pelos problemas do filho com incapacidade. E quando os problemas não são identificados, existem uma menor possibilidade de serem tratados.

 

De forma a dar resposta a estes problemas, Anthony Goudie sugere que os pais procurem nos filhos sinais de problemas comportamentais na escola, de humor, interesses, atividades, etc., e tentem determinar se se esses problemas estarão relacionados com o tempo que têm que dedicar ao irmão com incapacidade. Devem, depois, procurar apoio psicológico adequado.

 

Os pais devem igualmente procurar ajuda nos cuidados prestados aos filhos com incapacidade de forma a poderem proporcionar períodos regulares de tempo de um dia ou mais ao(s) outro(s) irmão(s), procurar grupos de apoio, etc.
Por fim, cabe aos pediatras e outros prestadores de cuidados de saúde procurarem sinais de problemas mentais nos irmãos de crianças com incapacidade para que possam intervir o mais rapidamente possível em qualquer problema, tornando-o assim mais fácil de resolver.

 

ALERT Life Sciences Computing, S.A.

Partilhar:
Ainda não foi classificado
Comentários 0 Comentar

Comente este artigo

CAPTCHA
This question is for testing whether you are a human visitor and to prevent automated spam submissions.
Incorrecto. Tente de novo.
Escreva as palavras que vê na imagem acima. Digite os números que ouviu.